Bem-vindos a este espaço de partilha de todos para todos

Google+ Followers

terça-feira, 28 de março de 2017

O processo esclavagista continua à vista de todos

   

O processo esclavagista continua à vista de todos

Há dias tive conhecimento que uma amiga tinha participado num concurso de poesia no qual foi classificada, o que me trouxe satisfação e vontade de visitar o local virtual onde podia ter conhecimento do trabalho dela e se possível comentar o mesmo.
Acedi à página, li os trabalhos premiados, inclusive o da minha amiga, e acedi ao local próprio para deixar uma saudação e dar os parabéns quer à instituição pela sua iniciativa cultural, quer aos autores cujos trabalhos foram distinguidos.
Qual não é o meu espanto, ao verificar que só por via do canal facebook era autorizada a publicar comentários na referida página. Esta confrontação trouxe-me à memória outros episódios semelhantes, que acreditei terem sido lapsos dos sites ou quem sabe meu, no acesso aos mesmos.
Mas não amigos…conferi com várias outras pessoas e realmente, só podemos participar na dinâmica duma página camarária (Câmara de Condeixa) instituição pública, ainda penso eu… se o fizermos por um canal privado cujos teores, razões e motivações de existência são comprovadamente antievolutivos e cujas metas ocultas vão sendo perceptíveis a quem se permite ter livre pensamento.
O Sr. Mark Zuckerberg e os seus sócios, podem continuar a sua campanha de domínio mundial (via mental), promovendo a imaturidade global e a dependência, mas como diz o ditado popular “só compra quem quer”.
Já as instituições públicas têm a obrigação natural e inerente à sua própria condição de, em situação alguma, limitarem ou condicionarem o acesso aos seus processos canalizando esse acesso para uma via privada, tendo ainda em conta que quer em Portugal quer no mundo uma grande maioria de pessoas desconhecem o que é o facebook (felizmente), outras tantas não têm acesso à internet, e ainda outras tantas nas quais me incluo não temos o mínimo interesse em acrescentar números a esta via de controlo da Matrix.
Por favor despertemos… Internet e facebook, não são a mesma coisa…Internet é uma excelente e abrangente ferramenta de trabalho, facebook é um grupo (entre vários outros com o mesmo objectivo) liderado por meia dúzia de pessoas com a opção bem definida de dirigir as escolhas, a vontade, a liberdade, e o crescimento consciencial da humanidade.
A todos aqueles que aspiram a um futuro humanístico para os seus filhos e netos recomendo ler ou reler George Orwell que há décadas nos alertava com previsões para esta anestesia intelectual que está a afectar milhões de seres incluídas crianças e jovens.

Maria Adelina de Jesus Lopes



quarta-feira, 22 de março de 2017

Inspiração, Heróis e Samurais...a saga continua...


Como corolário das últimas publicações neste blogue cuja receptividade agradeço, envio esta conversa com  o Doutor Paulo Vieira de Castro, numa abordagem diversa, que nos permite ver e sentir que sim, que a esperança existe, que os heróis ainda podem ser resgatados em nós e por nós, e que os Samurais sendo poucos, mas andam por aí, acreditem...apresento-vos um, o estimado amigo Paulo Vieira de Castro


segunda-feira, 20 de março de 2017

O Princípio dos Princípios



O mais sagrado Princípio, aquele que engloba todos os demais, aquele que a alma busca incessantemente alcançar, é “Samurai”, esta expressão significa “Aquele que Serve”.
Este conceito está longe de ser compreendido, mas vai abrindo trilho, na mesma proporção que se expande a consciência da humanidade, devagar, devagar…
A postura normal e da maioria é o contrário, duma forma inconsciente busca-se tão só o receber, o que aproveitar, o que possa ser útil aos desejos, à carência energética, ao egoísmo. Mas nós somos estrelas em ascensão, mais ou menos opacas, e é de todas o destino aprimorar o seu brilho, mais e mais…
A simplicidade do uso e incorporação deste Princípio que também se pode chamar Consciência Crística, é total, basta apenas fazermos de cada segundo da nossa vida ferramenta de doação e entrega. Em qualquer evento, participação, convívio, trabalho, expressar com todo o amor:
- Que posso eu dar de bom a esta situação?
- Que porção de luz, paz, cuidados, trabalho, serenidade, dou de mim ao local, ao evento, às gentes com quem estou?
- Que qualidade energética partilho neste momento, hora, dia, com quem interajo? Cuidei da limpeza da minha aura, tal como cuidei do exterior para me juntar aos demais? Sou criterioso (via lucidez consciencial) nas escolhas do que faço, sem me deixar envolver na onda do que a maioria faz? Sou autêntico nos pareceres sem o açaime do medo da reacção dos outros? Cultivo o amor que me rodeia para que floresça noutras e maiores searas?

Sou guardião do meu Sacrário, Cristo em mim?

Cristo… o maior dos Samurais, serviu “in extremis” dando exemplo de compaixão ao Céu, por acreditar na elevação da raça humana.
Cristo, que clama no mais íntimo de cada um de nós: não me aprisiones mais, deixa-Me sair, de ti…

“Só dando se recebe, e cada qual recebe pelo alqueire (qualidade e quantidade) do que dá”



Maria Adelina

21 Março 2017





Amados Mestres Jesus e Maria Madalena




Imagem de MARKO IVAN RUPNIK




♥Dançando com o Vento♥ - Bem-vinda, Primavera

domingo, 19 de março de 2017

Quem são as nossas fontes de inspiração?



Perguntaram-me há dias…onde te inspiras?

Questão profunda na sua leveza que me fez pensar o que até então nunca havia pensado, é que também pela inspiração somos agentes de transformação, a ampliar a luz, a transmutar a sombra, pois são ambas motivos de inspiração. E vários factores ocorreram-me à memória:
- Os exemplos dos avós que conheci, analfabetos de letras e doutorados em nobreza de valores morais e fraternos (palavras proscritas nos dias de hoje)
- Às freiras do colégio que frequentei que me ensinaram como não queria ser quando fosse grande
- Aos filhos a quem honro pelo que se tornaram e são Pai e Mãe dos seus próprios filhos
- Aos amigos, companheiros de caminho com quem se ombreia o peso das dúvidas e das tristezas, dos desafios, mas também o da esperança, partilha de saberes, trabalho, presença no longe ou no perto, braço e abraço conforme seja a ocasião
- Mas também a quem nos procura só quando se coloca a sua necessidade individual ou satisfação do ego, os que primam pela ausência de partilha ou gratidão, os que perderam um dos sentidos do que é receber e dar
- Ao mar, voz da minha ancestralidade – Ao vento, murmúrio da minha dimensionalidade – Ao girassol que me indica: roda, não pares, segue a luz solar – Ao sol, farol de retorno ao lar - À chuva, alimento das minhas raízes, purificação
- Aos “animais”, a quem tive a bênção de ter por companheiros por tantos anos, que me ensinaram os princípios do amor incondicional
- Aos livros, mantas de saberes que outros teceram
- Aos sonhos, directrizes da minha alma, contentor do divino em mim
- Ao fértil e amoroso seio da Terra, mãe acolhedora da nossa missão
- Aos MESTRES de todas as eras cujas essências perfumam meus sentires, minha força, minha Fé, meus passos

A Tudo, a Todos, profunda gratidão por aquilo que são em mim, ou seja…Inspiração

Maria Adelina

19 Março 2017